Perfil

Minha foto

Historiadora/Professora de História e para sempre estudante. 

Seguidores

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

"A arte de tornar a verdade manejável como arma" parte I

Contrariando regras do meu dicionário de ética e moralidade ( e modos convencionais de postar uma discussão no blog) resolvi não me demorar para publicar um ou outro ponto de vista à respeito de um texto que está sendo trabalhado com os alunos de Sociedade, Cultura e Educação na UCG. Vou me atar à idéia ( ou desejo) que ninguém da faculdade encontre esse post antes da apresentação com meu grupo à respeito do texto. O texto é "As cinco dificuldade para escrever a verdade social"* de Bertolt Brecht ( lê se Bertold' Brexi). O tópico que pretendo discutir em meias palavras e possivelmente dividindo o tema em dois posts vamos trabalhar "A arte de tornar a verdade manejável como arma". Mas antes de começar com o texto "propriamente dito" vamos às considerações:
Todas as vezes que venho aqui postar, sobre o que mais penso e que mais discuto é com relação à verdade. O que é verdade? Cada um de nós temos as nossas, e ainda verdade que são adotadas por todos devido ao período histórico que vivemos. Eu diria que verdade são respostas que satisfazem nossas perguntas sendo elas empíricas ou não.
Quem é Brecht para falar sobre verdade? Ao ler seu texto, considerando ser ele um comunistazinho ( sem ofensas!) pensei comigo " Esse cara não está usando a verdade como arma para defender Stálin?". O fato é que Brecht, um alemão fugitivo do nazi - fascismo era também perseguido por Stálin, embora fosse um dramaturgo marxista.Brecht não temeu falar a verdade que fosse e é isso que ele vêm nos explicar.
Agora ao texto. Qual a definição atual que temos de fascismo? Que é um regime político que tem como características fundamentais o totalitarismo, nacionalismo,idealismo,romantismo,autoritarismo,militarismo e anticomunismo já sei... então um futuro movimento fascista não vai acontecer...ERRADO!O fascismo é apenas um subproduto do capitalismo, é a versão do que vivemos hoje sem máscaras e sabe porque não é conveniente ninguém saber disso? Aposto que acertaram, vivemos no capitalismo então porque marcharmos contra o mesmo não é?!
O fato é que ,do mesmo jeito que judeus foram separados da sociedade e explorados, o pobre no mundo não têm vez! Ele tem que submeter-se à variados tipos de humilhações se quiser sobreviver em meio a esse mundo que ninguém é capaz de olhar para outro lugar se não para o próprio umbigo.
"Aqueles que estão contra o fascismo sem estar contra o capitalismo, que choramingam sobre a barbárie causada pela barbárie, assemelham-se a pessoas que querem receber a sua fatia de assado de vitale, mas não querem que se mate a vitela." cita Brecht. O véu que impede que enxerguemos o fato é chamado de Democracia, aquela que teoricamente o povo escolheria porta-vozes para governar. Mas que governo é esse que não reflete os pedidos do povo e que povo é esse que se esquece que o país é responsabilidade dele e responsável por ele?
A palavra democracia tenta justificar o monopólio dos grandes e esconder a violência nua e crua. Quantas pessoas que vc conhece que perderam a vida e a saúde no "trabalho que dignifica" o homem? Que dignidade é essa!


Vou encerrar esse post por aqui mas no próximo vamos voltar ao texto de Brecht.
Abçs



*Catalogação da fonte
Fragmentos de Cultura - v.1, n.1 (1991). Goiânia:
IFITEG, 1991
Bimestral
ISSN 1414-19494
1, Filosofia - Periódicos 2. Teologia - Periódicos-
3. Ciência Humanas e Sociais - Periódicos
CDU 1/3 (05)