Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

Resenha Crítica: Civilização e Divisão do Trabalho

Esse trabalho feito para a disciplina de História Antiga que é dada pelo Prof.: Welton, não é um dos meus preferidos, mas teve nota máxima, portanto, aqui está. Abçs. Maria Angélica


CIVILIZAÇÃO E DIVISÃO DO TRABALHOA sociedade primitiva, uma vez sedentária, passou a produzir o suficiente para a sobrevivência de todo um grupo, houve ainda antes dessa época o que pode ser chamado de primeira divisão do trabalho feita por gênero, em que o homem era incumbido da caça enquanto que a mulher era a responsável pela plantação. Essa primeira divisão, no entanto, não é analisada como exploração, mas sim como prática necessária.Ainda no início desse trabalho dividido entre gêneros, a produção era coletiva e distribuída de modo igual no grupo. Nessas sociedades os produtores eram donos dos produtos e também do processo de produção, os produtos estavam em suas mãos e era sabido do seu destino.No entanto, é em um dado momento que essa produção começa a exceder-se, surge as apropriações individuais e,…

Lenine - Paciência

Para brindar o tema que um amigo utilizou no blog dele: Tempo. ( que assim que eu pedir autorização pretendo divulgá-lo). Abçs








Lenine - Paciência

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para

Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida é tão rara

Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós

Um pouco mais de paciência
Será que é o tempo que lhe falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (Tão rara)

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Mesmo quando o corpo pede um pouco mais de alma
Eu sei, a vida não para (a vida não para não)

(Solo - piano - 17seg)

Será que é tempo que me falta pra perceber
Será que temos esse tempo pra perder
E quem quer saber
A vida é tão rara (tão rara)

Mesmo quando…

Resenha Crítica : Mito e Realidade

Como um trabalho feito por mim, se alguém quiser utilizá-lo em sua pesquisa peço que entre em contato, ou dê os devidos créditos como fiz. Grata.

-----------------------------------------------------------------------------------------------
Errata: quando se referir à Mircea Elíade, ao invés de "autora", lê-se "autor"

-----------------------------------------------------------------------------------------------
No século XIX, mito era sinônimo de ficção e fábula, conceito esse que os ocidentais aplicavam com a finalidade de subjulgar a cultura , principalmente religiosa, de um povo e justificar o domínio da Europa sobre suas colônias, por exemplo. No entanto, esse conceito mudou e hoje em dia o mito é encarado como “histórias verdadeiras” , apoiadas em Seres Sobrenaturais, que conceituam a criação do mundo e cria premissas quanto ao fim da humanidade. Esses mitos são apoiados em sonhos e experiências não científicas que determinam o comportamento de certo grupo diant…

Contos de Ramirez

É justo colocar aqui um Blog que possui contos de terror muito bons (meeesmo), no endereço contosderamirez.blogspot.com , que a partir de hoje irei vincular à barra de "sites recomendados", vocês poderão conferir contos de terror para diversos gostos, desde uma releitura do mito da Loira do Banheiro à um conto relacionado ao Live Menssenger. Meu preferido? Sem dúvidas o primeiro que li "A Casa", que além de ter um enredo à la Edgar Allan Poe, possui uma linguagem de cinema , dois aspectos que prendem muito bem um leitor.
Porenquanto, no clima de mistério e terror, vou deixar aqui um vídeo que certa vez o Thiago me mostrou e que me deixou um bom tempo pensativa quanto a natureza da minha gata. "Cat With Hands" infelizmente não é um filme, mas amaria ver uma abordagem assim na telona! Para quem assistiu "Irmãos Grimm" não vai conseguir evitar a ligação desse curta à ele.
Abçs


Gracias a La Vida - Elis Regina ( Violeta Parra)

O professor de História da África passou essa semana essa música em sala, conta ele que ela o ajudou a sair de uma depressão (temo que seu efeito tenha sido ao contrário comigo), ela foi escrita por Violeta Parra (1917- 1967), uma das grandes difusoras da cultura chilena: compositora, cantora, artista plástica e ceramista. Sobre a música "Gracias a La Vida" composta entre 1964-1965 é citado:



"Mas suas canções não apenas são marcadas por versos demolidores contra toda a injustiça social. O lirismo dos versos de canções como "Gracias a la vida" (gravada por Elis Regina) embalou o ânimo de gerações de revolucionários latino-americanos em momentos em que a vida era questionada nos seus limites mais básicos..."(fonte: Wikipédia)




Segue abaixo a letra e o vídeo da música interpretada por Elis Regina.
Abçs



Gracias a la vida que me ha dado tanto.

Me dio dos luceros que, cuando los abro,

perfecto distingo lo negro del blanco,

y en el alto cielo su fondo estrellado

y en las…
I woke today Inside the train of dreams The rain poured downIn black and whit
e I stood and stared The rest of what remains Of my own world crumbling around
I held my tears
One day comes after another
The falling rain
Caressed my skin again Just let it flow to wash away A time gone by A feeling long denied My heart is no more bound in pain
And now it's clear
One day leads on to another I dry my tears There´s so much else to discover Somewhere
I hear the sound, of thousand voices
I lost my innocence I'm on my way I crossed the desert To rescue what I sent Out of my heartAway
And now it's clear
One day leads on to another We'll fight our fears And find the way back to each other
I hear the sound, of thousand voices
I lost my innocence I'm on my way I crossed the desert To rescue what I sent Out of my heart
I hear the sound, of thousand voices
I lost my innocence I'm on my way I crossed the desert To rescue what I sent Out of my heartAway