Em relação à relação

Disse no post do vídeo de Beirut que iria adotar o tema que o Marcus tinha me falado: sobre a proibição de homossexuais doarem sangue. Mas tive uma discussão bem produtiva essa tarde que me rendeu mais um tema de "achismo pessoal" e mais uma vez permeiando minha eterna dúvida - relacionamentos.

O Início.

Sou grande fã da idéia de Gikovate sobre a nossa necessidade de se unir e quando unido a necessidade de ser solteiro, pelas privações sofridas. No momento de união porém já fica subentendido todos os encargos sociais que a relação a dois acarretam, não significa o enclausuramento de ambos, mas definitivamente, não é possível continuar sobre o jugo dos conceitos de solterisse, bem como, uma vez solteiro, sofre-se as consequências de se sentir sempre só, em sentido mais sentimental que físico, ainda que o solteiro preserve algum tipo de relação instável.

O Meio.

Por experiência própria, observo que a relação ideal deve ter o fator respeito como base, e não se limitar apenas as questões físicas ( ou química), deve haver sinceridade, uma vez que ainda assim cada um deve ter seu espaço privado para conservar seu passado, seus segredos, ou aquilo que não é conveniente ser colocado em questão.
Deve haver alguns acordos justamente pelas vantagens e desvantagens que citei anteriormente. Para prosseguir é necessário muito carinho, paciência, cumplicidade, companheirismo, saber a hora de falar sério e a hora da diversão.

O Fim.
O fim é o que é, o fim! Simples e sucinto, sobretudo se o término veio acompanhado com mágoa, falta de respeito, falta de carinho, falta de cumplicidade e todos os elementos que garantem uma boa relação. Traição (a você mesmo, realmente não acredito que alguém traia outra antes dele mesmo), violência, humilhação, manipulação (considerando esta o mesmo sentido imundo de utilitarismo) são todos elementos que destroem mais que uma relação, mas o sentimento base de qualquer relação.
Quando o fim chega não há volta digna, sobretudo se há mágoa de qualquer uma das partes, o tempo não volta e todos mudam a todo segundo, nem você nem seu(a) ex são os mesmos, se houve incompatibilidade, esta perdura, e segue cada um com seu caminho, ninguém vive de lembranças (excetuando meu caros colegas historiadores - piadinha infame).

O Grande Inimigo
Sempre há um grande inimigo nas relações : o ciúme. Esse maldito verme uma vez nas nossas entranhas se instala entre a garganta e o coração, ataca em conjunto com a imaginação auto-sabotadora de felicidade e causa efeitos como uma sensação de choro e solidão. Particularmente conheço-o muito bem há alguns anos, e tenho lá os meus motivos de não arrumar qualquer desculpa para não justificá-lo, na verdade penso que todos nascemos com esse verme, e não há auto-confiança do mundo que possa garantir que amanhã seu amado(a) não se encantará com outra pessoa que supra necessidades que você não é capaz de suprir.
Esse bicho parece acordar com o erro humano da jogatina de sedução, uma grande maioria dos enamorados utilizam tal como massagem de seu ego, o que é bem perigoso pois os extremos dos sintomas vão do fim de qualquer sentimento ao crime passional. Quanto a ciúme é possível escutar as seguintes frases:

- "Confio no meu taco" - não, você não é um taco e ninguém é bola, somos humanos e devemos ser tratados como tal.

- "Não tenho ciúmes" ou vc é muito jovem, imaturo e sortudo (tudo isso junto), ou vc está mentindo, ou tem outro pretendente/estepe/caso/affair ou é um psicopata.

- "Sei que sou melhor que fulano-de-tal" porra nenhuma, ninguém é melhor que ninguém sobretudo quando a questão é coração, essa frase pode gerar um longo post com teses que mostram que ninguém é melhor ou pior que o outro

- "Ele(a) é meu!""...borboletas sempre voltam e o seu jardim sou eu..." queridinha(o), fofinha(o) não somos objetos, somos indivíviduos e efetuamos escolhas, se ele(a) não te quer ZIVUDÊU, não te quer, sem entrelinha ou mensagens subliminares; e essa música do Victor e Léo, acredite, é muito brega.


SESSÃO AUTO-AJUDA

"O passado existe quando se está infeliz."

"O meu passado é tudo quanto não consegui ser. Nem as sensações de momentos idos me são saudosas: o que se sente exige o momento; passado este, há um virar de página e a história continua, mas não o texto."

"O passado é lição para refletir, não para repetir."

"Viver no passado é uma ocupação tola e solitária;
olhar para trás tensiona os músculos do pescoço,
e faz com que você se encontre com pessoas que não
estão no seu caminho."
( Edna Ferber )

Bola pra frente, galerinha, deixa o que é História para nós historiadores!
Despeço-me

Comentários

Marcus Lazaro disse…
Caramba, belo post!!!

Falar de relacionamento é algo difícil e conheço poucas pessoas que tem culhões pra isso. Você falou bem e com muita propriedade nesse post.

Descreveu muito bem do início ao fim, como as coisas acontecem.

Infelizmente, a vida não é um mar de rosas... mas ainda assim devemos procurar aquela pessoa que nos completa, que faz com que sintamos amados e queridos.

A grande questão é: NUNCA DESISTIR!!!
M.A.S.S. disse…
Bem lembrado, Marcus, sempre deve-se ter em mente a persistência, não é que vc terá alguém perfeito, mas alguém que esteja em sintonia do seu lado.
Abçs
M.A.S.S. disse…
Este comentário foi removido pelo autor.