Perfil

Minha foto

Historiadora/Professora de História e para sempre estudante. 

Seguidores

sábado, 26 de setembro de 2009

Filosofando - Fenômenos Amorosos

Baseado no texto de Flávio Gikovate, " Afinal, o que é o amor?" do livro Ensaios Sobre o Amor e a Solidão. Texto trabalhado na aula de Filosofia da PUC -GO ministrada pelo professor Antônio Guimarães.

Antes de tudo é necessário esclarecer que ao falar de " fenômenos amorosos" nos referimos à desejo e à condição intra-uterina, em que ainda não há percepção de individualidade diferentemente do sexo, tema que será abordado no post seguinte. Existem diversos fenômenos amorosos, são eles : Enamoramento; Amor; Paixão; Amizade; + Amor ( que pode ser conceituado por " amor verdadeiro") e Solidariedade. Cabe esclarecer aqui apenas três processos.

Enamoramento: Trata-se do encanto, ou "amor a primeira vista" ele ocorre graças à necessidade que cada um têm de se completar com o outro, é o querer integrar-se e pode ou não estar ligado à um complexo de inferioridade. Essa fase dura pouco a medida que a individualidade do outro começa a se impor na relação.

Paixão: É o "acordar e dormir pensando em uma pessoa", trata-se de uma alteração química , estima-se que a fase dura de um ano e meio à dois anos , esse fenômeno é totalmente incompatível com o casamento.

+ Amor: Seu conceito mais puro está em relação à paz e a harmonia que este deve proporcionar, diferentemente do que as pessoas imaginam, ele está ligado à estabilidade e rotina. O outro indivíduo passa à contar pelo que de fato são ( sua individulidade é respeitada) e não pelo quem 'eu' quero que ele seja.

Algumas considerações:

- Creio que a paixão é a mais complicada de lidar, ela atrapalha atividades comuns e é confortante saber que o corpo não aguenta a descarga química por mais de 24 meses ( é quase aquele seu carnezinho das Casas Bahia).
- O Amor como fenômeno segundo os conceitos , é sem dúvidas o mais raro, imagino que ele logo se extinguirá visto que a tecnologia, o mercado modificou as relações sociais de tal forma que a individualidade do outro quer se sobrepor às demais.
- Enamoramento, contrário do amor, parece ser eterno e repetitivo já que essa sensação de incompletuda é intrínsica ao Ser.
- A amizade é o que mais se relaciona com o ideal de amor, visto que a individualidade ( defeitos e qualidades) são aceitas de forma harmoniosa desde que o alvo tenha um interesse comum ao seu.
- Solidariedade como fenômeno me é desconhecido, embora qualquer um de nós associemos a palavra à imagem de mãos dadas. Creio que não posso conceituá-la fielmente visto que também sou um subproduto dessa sociedade egoísta, individualista e em que ser "solidário" me remete à política de insenção de impostos de empresas e à uma grande hipocrisia à respeito da relação com o outro. Permitam-me portanto substituir tal por "peninha" no sentido mais perjorativo da palavra. Espero poder conceituá-la fielmente ainda em vida.

Próximo post: Amor x Sexo

0 opiniões: